terça-feira, 29 de abril de 2008

Sem perdão
É assim que me sinto:

partida.

Preciso do encantamento
da próxima palavra,
do êxtase rebelde
do meu coração,
da alegria na alvorada.

Não quero conhecer
a palavra perdão.
Do jeito que erro
e sou refletida na dor,
dos que me afligem;
quero a prisão.

Maria Maria

4 comentários:

rio.gomes disse...

Gosto dos seus poemas e do seu blog, por isso o linkei ao meu (http://rommario.zip.net)

Um abraço, Maria.

Romário Gomes
São José do Seridó

Jacinta disse...

Nossa,
seu poema me fala dessa busca constante pela palavra. E, não é qualquer palavra, tem que ser a palavra certa. Muito bom.
Um abraço
Jacinta

Moacy Cirne disse...

Um poema que é um ponto de partida: em busca da palavra perdida. Beijos.

Mulher na Janela disse...

seus últimos poemas estão lindos, Maria!

um beijo dos daqui.

Iara