domingo, 27 de abril de 2008

Para antes

Um cheiro de longe
traz a chuva:

molha a mão
e semeia.

Traz o pão,
mata a sede.

Encharca a alma,
lava o rosto da terra.

Abre os olhos
do tempo.

Um cheiro de longe
carrega-me para antes.


Maria Maria

2 comentários:

MARIUS QUIRÓZ disse...

A poesia é como um remédio que tem dose certa de acordo com quem a usa, interpreta e sente.

Poesia pode ser também um veículo de transporte esquisito.

Nos leva e nos eleva.

Bjos

Jacinta disse...

E o cheiro de poesia me traz aqui, para deliciar-me de seus cheiros.
Um abraço
Jacinta