terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Poema de ausência

A razão me farta,
atropela a emoção
e a poesia não
se faz mais silo
nesse sertão
de palavras rotas,
de versos vagem,
de troncos finos
de algodão.

Maria Maria

5 comentários:

J.R. Lima disse...

Neste deserto
sem versos
decerto
converso

Moacy Cirne disse...

Gostei, Menina, gostei: a poesia nunca atropela a emoção. Beijos.

Theo G. Alves disse...

belo, belo.

beijo, beijo.

Emerson Donizeti Batista disse...

Gostei. Belo texto!
Conciso e intenso.

Mulher na Janela disse...

a palavra enraizada no chão.

uma beleza!

beijos...