sexta-feira, 13 de junho de 2008

Não abrace.
Não beije.
Não force a entrada.
Destorça na investida os sobressaltos.
Pense bem antes de usar!
Meu coração
não aceita devolução.

Poema de Renato de Melo Medeiros, poeta do vale do Assu.

4 comentários:

Jacinta Dantas disse...

Os medos que nos assombram na entrega. Mas, melhor mesmo é deixar-se entregue ao amor, aos riscos e abrir as portas para a felicidade.
Belo poema. Excelente escolha.
Abração

Voltaire Rebelado de França disse...

um boa placa para afixar antes das paixões...

abç

marilia

aindapodiaserpior.blogspot.com

Jeanne Araujo disse...

Eme, lindo o poema de Renato. E o que que a gente faz com corações devolvidos? Acho que vou enterrar o meu numa porteira do Seridó, quem sabe assim encontro um Porto Seguro...bjos

Renato disse...

Oi Maria, adorei esses poemas, pricipalmente os sensuais. Acho muito sexy essa sua poesia destemida e suave, como é vc.
Fiz um link no AEROSTATO pra cá.
Agradeço se me referir como Renato de Açu ou como Renato de Melo Medeiros, é que aqui temos primos e primos renatos, andamos pelas bandejas.Beijão!