sábado, 21 de junho de 2008

Dor do deserto

Meu chão reclama
a dor do deserto.
Mas não sou o deserto
dessa areia. Ou sou?

4 comentários:

Moacy Cirne disse...

Oi, a sua Dor pousou no Balaio. Beijos.

Mulher na Janela disse...

Do deserto dessa areia, ficou a poesia certeira.

Um beijo.

Iara

Cöllyßry disse...

Somos um pouco hás vezes esse deserto...Lindo espaço onde se planta poesia...

Beijito e meu rastooooooo

aqui em pensamentos

http://olharindiscreto.blogs.sapo.pt/

A Rosa do Deserto. disse...

Maria, Maria...


Nome sugestivo...o do blog. Fiquei surpresa c sua visita, não creio q sejas intrusa, aliás tenho q lhe dizer q volte sempre q quiser, assim c voltarei aqui tb, pois adoro poesias, seu espaço reflete a sua alma, linda por sinal. Qto ao seu versar d hj, está singular, a dor do deserto, q dor é essa? que move-se ao som do vento e traz consigo seus temores e indagações, somos grãos de areia movediças q vão e vem aleatoriamente...Muito bom, parabéns.

Beijos Poéticos.
;****