sábado, 7 de fevereiro de 2009


Instintos

Nesse jardim de inverno
repousa um passarinho pardo.
As penas
(entre um marrom, um cinza e um marrom)
deitam-se sobre o barro úmido
nessa manhã sem estação.

Maria Maria

5 comentários:

Emerson Donizeti Batista disse...

Lindo, lindo, lindo!
Com o espírito de um haicai.

Maria Maria disse...

Maria, segue comentário sobre o último poema "Instintos"...

Canta cotovia
E voa com a nasalização
Do circunflexo
Em vôo...

Abraços
Oreny Júnior

Mulher na Janela disse...

sobre o barro úmido pousa uma linda poesia...

beijos...

Moacy Cirne disse...

Você mudou mais uma vez, né? Ficou mais limpo, mais organizado. Acho que essa é a melhor forma que você ja usou.

Um beijo.

J.R. Lima disse...

a manhã sem estação
o pássaro pardo
amanhã de inverno