domingo, 6 de dezembro de 2009


Felina

Sou gata.

Toda noite, no telhado, viro fera
em cima de uma tapera
tão faceira a te esperar.

Sou gata.

Risco um grito sem fronteira,
pois eu sei que a lua cheia
quer em mim se derramar.

Maria Maria

Foto: Goga

5 comentários:

Mirse Maria disse...

Mais um maravilhoso poema com sua marca!

Linda gata em forma de poesia!

Beijos

Mirse

Moacy Cirne disse...

Bela felina.
No Balaio de hoje.

Um beijo.

Canto da Boca disse...

Uma gata tão faceira, que um mundo por aqui se esgueira, para olhá-la e lê-la. Lindo como sempre, Maria.

Um beijinho!

Zélia disse...

"...a lua cheia
quer em mim se derramar."

Adorei! E já sofri muito com minha gata assanhada. kkkkkkk

Bjo!

guru martins disse...

...sa
bo
ro
so...

bj