quinta-feira, 17 de dezembro de 2009


Natal-menino

Natal é tempo de infância,
de choro - menino,
de capim no campo árido
do Seridó.

Natal é tempo de orvalho,
de bois ruminando, de galos
e girassóis.

Natal é broto
de meu Lírio da Paz,
é encontro de janelas
e luzes.

Natal é o beijo
na essência
de nós mesmos.

Maria Maria

Imagem da net

3 comentários:

Mirse Maria disse...

Que beleza!

O Natal como essência de nós, como bois ruminando como a simplicidade do Deus menino.

Parabéns, Maria Maria

Beijos

Mirse

José Carlos Mendes Brandão disse...

Quando eu morava na roça,
entre burros, cavalos, bois, vacas e bezerros,
entre o orvalho da madrugada e as estrelas beijando o pasto,
era tão pobre que nem sabia o que era o Natal.
Mas, sem saber, vivia o Natal.
Um beijo com cheiro de capim, Maria.

Maria Maria disse...

Meu amigo querido, foi esse o melhor momento da sua vida, penso.
É essa simplicidada de que falo sempre em meus poemas.

Beujos e um 2010 maravilhoso!