sábado, 11 de abril de 2009


Chuva de abril no Seridó

Dó ré
mi
fá sol

si
bila a chuva
sem sol.
E a chuva
toc, toc...
vai compondo
sinfonias nas teclas
do meu telhado
nesta noite em que
a Vésper fa
la mansamente à lua
que a maré tem dó,
de mim.

Maria Maria

4 comentários:

Moacy Cirne disse...

Está chovendo em Currais Novos? Que maravilha!
Outra coisa: você está convocada pelo Balaio (emeio: balaio86@oi.com.br) para participar da enquete OS 10 POETAS POTIGUARES mais importantes, segundo a sua perspectiva. Depois de publicada por mim, poderá ser editada no Substantivo Plural, de Tácito. A não ser que você prefira publicar primeiro no SP. Neste caso, envie a lista para o nosso amigo, postando diretamente no SP; depois a publicarei no Balaio.
Um beijo.

Patrícia Lara disse...

Olá, Maria!

Passando para ler os seus poemas que, a propósito, gosto muito!
Vc tem uma forma muito peculiar para se expressar e essa originalidade me encanta!

Parabéns pelos lindos versos!

Aproveito para desejar a vc, uma Feliz Páscoa!

Grande abraço,
Patrícia Lara

Guru Martins disse...

...mas é
muito bom!!!

bj

Oreny Júnior disse...

chuva
aos umbús...
aos perdizes
que espantam boiadas...
chuva
de letra e poesia
nessa casa
de maria maria...

abraços chuvosos

Oreny Júnior