segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Foda-se o mundo e quem vive nele

Fodam-se todos!
O ódio rasga meu peito,
sobe para a mente e me domina.
A dor que eu sinto é boa, gostosa, me fascina.
Porque os políticos mandam os pobres para
guerra em vez de irem eles mesmos?
Porque as cobras são discriminadas
porque tem veneno?
E os homens
que o veneno deles está na alma
sofrida, torturada. As mortes causadas
são piores que qualquer veneno
e mesmo assim não são discriminados.
E os negros, pobres, gays não têm direitos?
Fodam-se se todos!
Foda-se o mundo!
Vivi, cresci , envelheci, morri!!!
E nunca fui feliz!!!
Que mundo patético, cheio de ilusão!
Para que viver em um mundo
onde sonhos são apenas sonhos?
Rico: mesquinho, ganha tudo
sem fazer esforço e acha
que é melhor que os outros
a ponto de pisar em todos.
Pobre: trata bem os outros,
trabalha e sabe o sofrimento
que a vida lhe traz.
Pobre quando vira rico
muda o caráter,
fica sem amigos de verdade.
Se esquece que um dia foi pobre,
vira um mesquinho.
Rico quando vira pobre
aprende a valorizar,
não só aquilo que se tem,
mas o que está ao seu redor.
Humanidade miserável!
Cada vento é um grito,
pedindo ajuda, pois o mundo
está morrendo.
Guerras, fome, a humanidade
tem o dom de causar tristeza.
Amigos? Nunca os tive,
mas consegui sendo outra pessoa.
Mas o que isso provou?
Apenas que sou fraco.
Hoje em dia, viver não é mais um desejo
e sim um sonho ruim, esperando
que um dia eu acorde e esqueça que dormi
e que um dia eu sonhei....

Artur Gomes Guirra (14 anos)

3 comentários:

meioamargo disse...

todo mundo sabe... mas dói qndo se lê.
é porque não tem como fingir não entender.

CASSILDO SOUZA disse...

Maria Maria, Eme Gomes, Maria José. Faz de conta que são heterônimos. Um para cada estilo, um para cada tipo de sentimento, e, ao mesmo tempo, os três para exteriorizar o que sente a alma feminina na mais profunda acepção do termo. Parabéns, Eme. Curto sempre as suas poesias na TV.COM.

CASSILDO SOUZA

adelson.f disse...

Caro Artur:
Apesar do seu texto ter um conteúdo forte, chamou-me mais a atenção a qualidade dos seus escritos. Parabéns! Você escreve muito bem. Quanto ao conteúdo, observo que você retratou muito bem o mundo real; mas, vale ressaltar que quando criticamos, contraímos uma responsabilidade maior em relação às soluções. O desabafo é muito importante pra gente ouvir e analisar o que precisamos fazer para mudar. A responsabilidade, neste caso, não cabe a mais ninguém; ela volta pra gente.
Você não é "um fraco"; isso é pouco para um grande menino.
Um abração,
Adelson