quinta-feira, 17 de junho de 2010


Orvalho no negro da noite

Como ser sereia
nesse chão
que incendeia?

Não fosse a gota
de orvalho que escorre
da chuva
;
;
;

estaria guache
feito anjo drummondiano,

mas lavaria minha alma
com a água que chora

de mim.

Maria Maria

3 comentários:

José Carlos Brandão disse...

Um anjo torto, tão torto!
te disse: Vai, Maria, ser sereia.
Depois lava a tua alma
na água da poesia.
Lava, que passa, Maria.

Emerson Donizeti Batista disse...

Belíssimo!!!

Mirze Souza disse...

Maria Maria!

Belo demais! Esse chão que incendeia e o orvalho que lava a alma!

Só poderia ser seu!

Beijos

Mirze