sábado, 29 de março de 2008


Morada 1

Mora em mim
um todo de toda água,
um galho de algaroba
(que navega na enxurrada),
um pingo de orvalho,
Gargalheira em gargalhada.

Maria Maria

9 comentários:

Moacy Cirne disse...

Poesiamorada: águazul. O Gargalheiras já está sangrando? Beijos.

Espartilho de Eme disse...

Caro, Moacy!
Segundo o site de Jesus de Miúdo só faltam 50 cm para Gargalheiras sangrar. Espero que complete logo esse volume. Um abraço, Maria Maria

Moacy Cirne disse...

Mianha cara: Sua Morada encontrou nova pusada: o Balaio. Beijos.

Espartilho de Eme disse...

Que bom, agora são Moradas. beijos

Jeanne Araujo disse...

Eita! O setão já virou mar! bjos

Dauri Batisti disse...

Maria Maria,

vim agradecer a visisa e encontro este espaço lilás lindo. parabéns pelos versos.

Dauri Batisti disse...

Não entendo algumas coisas que devem ser regionais. O que é isto de gargalheira sangrar?

Espartilho de Eme disse...

Gargalheiras é um açude. Um abraço e obrigada pela visita também. Abraço Maria Maria

Jacinta disse...

Oi Maria Maria
obrigada por aparecer lá no florescer. Adorei.
Pois é, vi esse lindo poema lá no Balaio e achei divino. E você por aí, se fazendo água, e eu por aqui, me fazendo ar na minha morada.
Um abraço
Jacinta