sábado, 16 de fevereiro de 2008

Maria José Gomes [Cônsul - Currais Novos-RN]

Sepultei a borboleta

Sepultei a borboleta!
Meu corpo jaz em silêncio
por sete dias.

As asas em morte,
na pedra opaca do teu tórax,
fazem refrão da melodia.

Sem crisálida,
sem m℮tamorfose,
sou um facho de luz
em agonia.

2 comentários:

Moacy Cirne disse...

MARIA maria: Mais um bom poema, Menina... É você, na foto? Um abraço.

Espartilho de Eme disse...

Oi, Moacy! sou eu sim e obrigada mais uma vez pela visita. Beijos